24 de abril de 2015

Eu,a Tal pessoa e os nossos complexos históricos


A verdade é que eu estava totalmente cansada.Totalmente.Nem conseguia olhar pra a Tal pessoa sem ter o impulso de fazê-la se sentir mal também.Mas nunca o fazia.
Cheguei a me sentir um poço de covardia por não ter coragem pra dizer de verdade a Tal pessoa,oque eu estava sentido,e quanto eu não queria mais viver aquilo daquela maneira.
Naquela ditadura de "Cala a boca,você só tem opiniões ruins!"
Diretas já!
Eu não tenho direito de expressar a minha opinião sendo ela qual for?Não era pra ser justo já que eu nunca impedi a Tal pessoa de expor seus pensamentos preconceituosos e depois toda pisando em ovos como uma estúpida dizer "Talvez isso não esteja certo..." Quando não havia reticências ou um mero "Talvez" e sim uma grande exclamação,porque é Óbvio que estava errado!?
Mas o problema com a coisa toda,não era que eu estivesse com medo de falar algo só porque eu era covarde e sim porque,na verdade,eu não queria que as coisas mudassem.Não queria perder aquela Tal pessoa,mesmo que ela fosse altamente prejudicial a mim.
E foi assim que ela me encurralou num sistema absolutista em que ela era minha monarca e eu um reles moribundo do proletariado.E eu não havia a elegido,ela apenas enfiou uma coroa na cabeça e cagou regras em cima de mim.
A Tal pessoa me considerava um feto desprovido de ciência(e só pra registrar,não tinha o menor temor em me deixar saber de tal coisa),enquanto na verdade,era ela quem andava com um cabresto ignorando toda a infinidade da natureza humana.Eu me recusava a viver naquele quadrado arcaico e ignorante,mas não fazia ideia de como me impedir de entrar dentro dele.
Nunca fui também muito de ser condizente com os residentes desses quadrados,mas tentava ao máximo ser respeitosa com eles.Independente de eles serem comigo ou não.
Escrever era um modo que eu achava de expressar minha frustação contra aquela censura ditadora em que a Tal pessoa me punha.
Porque,por Deus,pelo menos ela "me permitia" fazer isso,ao invés de me proibir qualquer conhecimento como na Idade Média.
E não se iluda pensando que a conversa entre eu e essa Tal pessoa resolveria qualquer coisa.Ela se negava a assinar a minha Bill Of Rights cedendo um pouco da sua guarda pra mim(eu nem queria totalmente destroná-la,só queria sair da sombra ameaçadora do governo dela),e eu procurava achar alguém como Guilherme de Orange pra impor a ordem na coisa toda de novo.
Levou tempo até eu descobrir que não havia Cromwell,Orange ou quem quer que fosse pra fazer isso,existia eu e era somente eu quem devia acabar com a porra toda.
E putz...Nem a literatura nem a história tinham me preparado pra isso.Não havia um manual nos livros de como abolir a escravatura ou coisa do tipo.
Tive de descobrir sozinha,mais uma vez.
Eu queria tão desesperadamente me livrar daquilo,mas não havia jeito de destituí-la sem arrancá-la de minha vida.As coisas iriam mudar a partir de então e a única saída era engolir aquele medo insano que eu sentia disso.
Fui me iluminando aos poucos,na expectativa de fazer uma aliança pacífica,mas ela me perseguia como Paulo aos cristãos e um dia,um belo e glorioso dia,eu virei a mesa e abruptamente desconstruí a torre de tijolos vendadores onde ela tinha me posto.Sair não foi fácil,mas foi rápido como nunca imaginei que seria.
A reforma veio,mas a liberdade valeu mais que qualquer outra coisa.

Ah!Se inscrevam no canal do blog,
porque eu estou planejando novidades!

28 comentários:

  1. Meu Deus, me identifiquei demais com esse texto! Quando uma amizade ou relacionamento começa a sufocar, e você passa a perceber que você, suas opiniões e os seus sentimentos estão ficando de lado, o melhor é se afastar... Nada vale mais que a liberdade e o seu bem-estar!
    Um beijão,
    Gabi do likegabs.blogspot.com ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério,que bom que gostou c;
      Com certeza!Levei um tempo pra perceber isso,agora sei e faço as coisas direito.Ou tento.
      Beijão!

      Excluir
  2. Oe c:
    Ameio o texto, estou sem palavras <33 Você tem muito talento muiér *-*
    O texto me lembra bastante algumas pessoas, que não aceitam a verdade e ver o nosso ponto de vista, e só sabem enxergar e ouvir o que quiserem.Eu vivo isso todos os dias, mas fazer o que, não tenho escolha.
    Beijos!
    ||Crazy Cake ||

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi!
      Menina :') Obrigada!!
      É realmente bem difícil quando o seu eu fica na sombra do ser de outra pessoa.Sim,você tem escolha!
      Tente conversar,senão,se afastar é o melhor que você pode fazer c;

      Excluir
  3. O texto é meio confuso... Mas você escreve bem, aliás você deveria postar o texto que escreveu sobre e não postou (que você comentou lá no meu blog) fiquei curiosa em ler...

    http://heyimwiththeband.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu sou uma confusão!
      Obrigada c;
      Ah,não sei ainda se vou postar,talvez...Se eu ainda continuar sentindo aquilo...Enfim!

      Excluir
  4. Oh gente, oi!
    gente, que texto
    Tive que pensar um pouco em algumas partes porque não sou tão boa em história mas isso fica entre a gente UHAUAHUA
    ".Não havia um manual nos livros de como abolir a escravatura ou coisa do tipo." UHAUAHU
    Gente, foda, fdoa, foda. Quem nunca?
    - um monte de estrelas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oee!
      Acho que você pensou: "Nerd detectada!!!" hahaha Liga não,estudar o tempo todo sobre ditaduras e revoluções é meio incomum mesmo...Coisa de gente doida...Sabe?Tipo eu.
      Aiin!Gostou?Que bom!Obrigada :3

      Excluir
  5. Olá.
    Eu tive um pouco de dificuldades de ler o livro, já que sou totalmente lesada, mas eu achei super legal essa sua ideia toda. Está muito bom.
    Eu sou um tipo de pessoa que gosta de ''mandar'' que não gosta de levar desaforo para casa e que muitas vezes não aceito opiniões de outras pessoas, torna tudo meio ruim demais em uma amizade. Parece até que você conversou com uma das minhas amigas amigas e escreveu esse texto. Talvez alguma dia eu vire a próxima presidenta do Brasil... quem sabe...
    Hey, lembra daquele book haul que você fez? Tinha o livro Os Adoráveis, certo? Vi ele na promoção e comprei, e estou adorando, valeu pela indicação.
    sessão proibida †

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que livro?
      Obrigada,mas não entendi :P
      Hahaha neste texto confuso eu falo de uma experiência com uma pessoa que não era somente autoritária,mas que não tinha limites.E extremamente,extremamente preconceituosa e ignorante.
      Sério?Eu também estou lendo Os Adoráveis nesse momento!Estou amando muito! De nada ;) ~agradeça a Sarra Mannig!

      Excluir
  6. Que texto liundo! Você escreve fanfics? Pq olha, você escreve muito bem! Aodrei esse texto, me super identifiquei com ele c:
    Amei o blog também, já to seguindo rç
    Beijão ♥
    http://supporthtml.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada!Não,infelizmente não escrevo fanfics.
      Obrigada de novo,que amor <3

      Excluir
  7. Eu adorei o texto e me identifiquei um pouco, confesso que tive que parar e repensar algumas coisas.

    Equalizando - [visite, baby]

    ResponderExcluir
  8. Que texto lindo! Amei!
    Muito obrigada pelo teu comentário lá no meu blog :)*
    Adorei o teu e já te estou a seguir :)

    Um beijo, Sweet Home | BLOG

    ResponderExcluir
  9. Adorei o texto. Também fico com medo de dar minha opinião por medo de perder, e machucar alguém, mas ás vezes é preciso para dar um sacode nos outros e até na gente mesmo. xo ♥
    fairiesdancing.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Só uma coisa a dizer: Esse texto ficou lindo!
    Eu também sou assim, porque quando eu vou dar opinião e a pessoa não gosta eu me sinto mal e penso "Porque eu não fiquei de boca fechada?" Mas a verdade é que se essa pessoa for o seu amigo, mesmo que ele não goste da sua opinião ele vai ver que é o melhor pra ele.

    Beijos xx

    http://edepoisdesonhar.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sério?Obrigada!
      Não é?Se ele for um bom amigo,vai saber respeitar as diferenças!

      Excluir
  11. Não sei o que dizer, só sentir.
    Esse texto realmente me surpreendeu. As comparações que foram feitas, a forma como foram feitas, toda a profundidade que ele tem. É incrível! Parabéns ♥
    Eu só gostaria de saber quem é essa tal pessoa. Pensando bem agora, eu acho que vivo cheias de "tal pessoa" como essa na minha vida.
    Ps: Enquanto lia a postagem, esqueci manteiga derretendo no fogão, o pote abriu em baixo, e a manteiga virou água.

    RAW ʕ • ͡ω • ʔ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai,Deus!Obrigada!!
      Cara,só amor esse comentário <3 Corações mil pra você!
      Essas "tal pessoa"...Porque não largam do nosso pé,hein?
      Hahahahaha serião?Putz,culpada então! :P

      Excluir
  12. Esse texto é a prova de uma superação, certo?
    Pois saiba que foi uma bela superação. Foram belas palavras. belas reflexões.

    Beijo! | Blog Entretanto

    ResponderExcluir
  13. Impossível não se indentificar com o texto, é como tivesse ocorrido com a gente. Muito belo e profundo, amei!

    http://o-hyeah.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

By a Lady.... Tecnologia do Blogger.
Se Esse Mundo Fosse Meu... © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.