13 de outubro de 2017

Dez livros amorzíneos pra quem não curte o mês do terror Feat. Thâmara (minha irmã)

Estamos no mês do horror (numa sexta-feira 13 maravilhosa) e, como eu falei no último post, eu estou participando de três maratonas de Halloween. Estou muito animada porque estamos no dia 13 e eu já estou indo MUITO bem! Mas já que nem todo mundo curte a vibe spooky de Halloween, o post de hoje é mais romântico. 
Já faz um tempão que eu não fiz listas, ou talvez eu nunca tenha feito listas, mas hoje eu senti vontade de fazer. Eu quero voltar a ler romances, porque eu gosto muito apesar de ser ariana (piadinha com signo, sendo que eu nem sei nada de signo é comigo mesmo, folks), então vim relembrar alguns dos meus preferidos aqui com vocês. Eu infelizmente acabei de perceber que não tem nenhum nacional na lista D: (e também não tem Shakespeare D: ) Mas se vocês quiserem dicas de nacionais, aqui vão algumas: Sal, Leticia Wierszchowski; Lucíola e Senhora, José de Alencar; A Mão e a Luva, Machado de Assis; Queria ver você feliz, Adriana Falcão; e A Cama, Lygia Bojunga.
Razão e Sentimento, Jane Austen 
Esse é, até o presente momento, meu livro preferido da Austen. Eu sei que Orgulho & Preconceito é o romance do milênio, mas acreditem se quiser, eu prefiro o Mr. Edward Ferrars e o Coronel Brandon ao Mr. Darcy hahaha Fora que Razão e Sentimento tem não só uma estória de amor, mas duas, já que ela conta as aventuras amorosas das duas irmãs Dashwood, Marianne e Elinor. Eu amo as duas e tenho muito das duas, mas acho que sou mais a Elinor (até porque, pra mim, ela conseguiu o melhor partido). 
Jane Eyre, Charlotte Brontë
Esse é o livro preferido da minha irmã, mas ainda não é featuring dela ashuahua
Foi um dos melhores livros que eu li ano passado e com certeza, o casal clássico que eu mais shippei na vida, vocês sabem disso porque no Wrap up de fim de ano eu falei dele. Eu amo o estilo das irmãs Brontë, que diferente do mundo meio provinciano da Austen, onde as mocinhas estão em busca de um tipo de subversão, traz umas narrativas meio obscuras, com casais não-perfeitos. Me pergunto o que diria Mr. Fitzwilliam Darcy se encontrasse o Mr. Rochester em alguma ocasião. Um encontro entre o homem perfeito da era regencial e o mocinho problemático da era vitoriana. Não que isso fosse possível, até porque eles não existem. Enfim! um dos primeiros livros feministas, meninas :')
A tulipa negra, Alexandre Dumas
Vocês sabem que eu sou completamente apaixonada por romances franceses e que eu venero os Dumas (pai e filho), né? Eu quis indicar esse livro porque eu já falei de todos os outros e esse é realmente o meu livro preferido (talvez disputando com O Máscara de Ferro) do Dumas pai até agora. Li em poucas horas e reli um dia depois hahaha Fiz todas as minhas amigas lerem também. Ah! No último diário de leituras, eu falei de A Dama das Camélias (criação do Dumas filho), que é um dos livros mais românticos desse planeta azul e que se parece demais com o próximo que vou indicar :)
Amor de Perdição, Camilo Castelo Branco
Esse é conhecido por ser incrivelmente triste. É uma tragédia romântica portuguesa maravilhosa. A típica história do amor proibido, sem mais nem menos. Mas é um clássico que eu amei muito ler na minha época da escola e que me deixou apaixonada pela escrita desse carinha ai. 
Cyrano de Bergerac, Edmond Rostand
Quem não conhece as peripécias do poeta com o nariz mais feio da França? hahaha Eu amo demais esse livro, sério! Tem uma releitura do Pedro Bandeira que todo leitor que começou o hábito quando criança já leu, A Marca de uma Lágrima, um clássico da literatura juvenil nacional. De todo modo, Cyrano foi uma leitura que me destruiu e o final é o mais frustrante da história dos livros impressos! Mas eu recomendo fortemente.
Eu fui a melhor amiga de Jane Austen, Cora Harrison
Se você gosta de romances históricos e é fã da Austen, esse livro vai ser perfeito! Na verdade, ele é perfeito de qualquer jeito. Eu reli ele mais vezes do que posso contar e é um dos meus contemporâneos favoritos. O negócio é o seguinte, a Cora Harrison fez uma pesquisa intensa da vida da escritora romântica preferida de todos os tempos e escreveu uma ficção maravilhosa onde a prima da Austen, Jenny, se apaixona pelo Capitão Thomas Williams (a Cora conseguiu capturar a essência de todos os mocinhos Austenianos de maneira perfeita). Esse livro revela uma parte muito interessante da adolescência da Jane Austen e fala também um pouquinho do romance dela com o Tom Lefroy. Lembrando que alguns fatos e personagens são reais, outros não.
Lola e o Garoto da casa ao lado, Stephanie Perkins
Esse aqui (e os dois próximos da lista) é bem diferente dos que indiquei antes. É um Y.A. muito simples e levinho, não tem tragédia nenhuma, pelo contrário, é até muito bem humorado. Esse livro é famoso, tava bem hypado há uns anos atrás. Eu amo a escrita da Perkins e esse é o melhor livro que eu li dela. Gosto muito de como ela construiu os gêmeos Bell.
Como ser popular, Meg Cabot
Eu sou apaixonada pela versão juvenil da Cabot! Li a série da Princesa Mia Thermopolis quase toda e gosto muito dos solos dela também. Como ser popular é o meu preferido, mas ele é meio impopular né hahaha muita gente não gostou desse livro com o motivo que era muito besta, sei lá. Eu achei bem filminho Disney, a cara da Demi Lovato em 2009, mas eu também adoro esse tipo de coisa, então. Sendo bem sincera, esse é provavelmente o mais fraquinho dessa lista, mas às vezes a gente precisa  "desbaratinar", como diz minha mãe, certo?
Soul Love, Lynda Waterhouse
Esse é muito curtinho e o romance meio que acontece muito rápido, mas estranhamente isso não me incomodou. Conta a estória da Jenna, que se muda pra uma cidadezinha pequena depois de um problema na escola e lá conhece o músico folk Gabe, por quem se apaixona loucamente. Gosto desse livro pela representatividade, foi um dos únicos contemporâneos que li a falar sobre um assunto tão sério quanto o que Soul Love trata, que eu não posso dizer qual é, porque é a surpresinha do livro. Fora que gosto muito da vibe que ele tem, me faz lembra um negócio meio Wicca, não sei porquê.

*E agora a nossa participação especial já que faz séculos que eu li romance e ela lê mais esse gênero do que eu, ladies and gentlemen, Thâmara (indicando um livro que eu não li, então se for ruim, culpem ela)!*
A solidão dos números primos, José J. C. Serra e Paolo Giordano
Esse é um dos meus romances preferidos e eu o adorei principalmente por causa dos protagonistas e o quão reais são eles. Eles sentem de verdade, igual a gente. Paolo Giordano não recriou Romeu e Julieta na sua Itália contemporânea, não há esse amor ideal no livro e isso é muito especial.


Feliz dia das crianças atrasado, peeps! Pra todos os gerascofóbicos que ficaram meio triggered com o dia de ontem, I get you rs

11 comentários:


  1. Um post sobre livros amorzíneos bem na sexta-feira 13? Bem subversivo, adorei hahahaha
    Eu não leio muitos romances, pelo menos não comparado ao quanto leio fantasia (que geralmente também tem romance, mas dificilmente como foco da estória), então foi no mínimo inusitado que o primeiro e único livro que terminei desde junho foi um romance, ou melhor, vários romances, foi "Aconteceu naquele verão: Doze histórias de amor", uma antologia inclusive editada por Stephanie Perkins e com um conto dela ("In Ninety Minutes Turn North", não sei os nomes na versão traduzida :p ) que não é o melhor conto do livro mas é bonitinho, e tem um conto de horror bem trash também ("Last Stand At the Cinegore") e um que é meio Além da Imaginação meets Crepúsculo ("Head, Scales, Tongue, Tail"), esses dois dá até para considerar temáticos para o Halloween, apesar de se passarem no verão, ah, e tem um conto que se passa num freak show(‘‘Brand New Attraction’’), acho que é esse o termo, sei lá.
    Pra não citar todos os contos do livro, vou dizer só que meus favoritos são ‘‘Love is the Last Resort’’, ‘‘Good Luck and Farewell’’ e ‘‘The Map of Tiny Perfect Things’’ :p
    Dos livros que você listou, só li Razão e Sensibilidade, e que livro ein? Foi o meu primeiro livro de Jane Austen (estou lendo por ordem de publicação) e é meu favorito também, se bem que só li Orgulho e Preconceito para comparar, posso dizer que eu prefiro as irmãs Dashwood do que as cinco irmãs Bennet. Acho que essa é minha citação favorita do livro:
    "Marianne Dashwood havia nascido para um destino extraordinário. Havia nascido para descobrir a falsidade das próprias opiniões e para ir contra suas convicções por sua própria conduta."
    Quero bastante ler Jane Eyre, mas é tanta coisa pra ler sempre que não sei quando vou conseguir. Também vou colocar A Tulipa Negra, Amor de Perdição e A Solidão dos Números Primos como quero ler no skoob, uma hora ou outra eu acabo lendo :p

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu juro que não foi proposital ashuashua
      Eu meio que descobri que leio muitos romances hoje hahaha Quer dizer, eu li mais romances do que pensava, mas dei uma parada colossal esses últimos dois anos. Eu li O Presente do meu grande amor, que é a primeira coletânea dessa série da Perkins. Eu não sei se é uma série de fato, se vai ter livro pra as outras estações, mas acho que sim porque vendeu bem. Fiquei curiosa com esses contos! Gostei muito do livro de inverno, mas alguns contos foram meio bleh.
      AAAAAAAAA AMO ESSE QUOTE QUE TU CITOU <3 Vem cá, eu amo a Marianne, mas what about Ellinor? Eu acho que ela é meio subestimada, só que ela é tão TÃO peculiar! Eu amo a Ellinor, sério! Ela é uma das personagens menos óbvias da Austen.
      Esses todos são livros ótimos, mas já que tu amou Austen, lê Jane Eyre que é sucesso!

      Excluir
    2. Eu descobri a existência de O Presente do meu grande amor só depois de ter começado a ler o outro, esse conto da Perkins que eu citei é uma continuação do conto dela no primeiro livro, que eu provavelmente vou ler em algum ponto, quando eu tiver precisando de uma leitura mais leve de novo. Coletâneas de contos sempre tem uns meio bleh, pelo menos todas as que li, sejam doze histórias de amor ou contos extraordinários de Edgar Allan Poe (por falar nele, conhece o filme Extraordinary Tales? Perfeito pro Haloween) :p
      Ah, eu citei esse quote porque é o meu favorito do livro e eu gosto muito da transformação de Marianne na estória, mas Elinor eu amei desde o começo, até agora ela é minha personagem favorita de Jane Austen, acho que de vários quotes do livro que eu marquei, 2 foram de Marianne e muitos outros foram de Elinor, ela é incrível! Acho que o ponto de Razão e Sentimento (sempre me pego falando Razão e Sensibilidade ou até Senso e Sensibilidade :p) é que cada pessoa deve ter ambos, mas se fosse para escolher um lugar num espectro em que uma ponta é a Elinor e na outra é a Marianne, eu não pensaria duas vezes em ficar no lado da Elinor(ou talvez pensasse duas vezes, agir impulsivamente é mais Marianne).

      Excluir
    3. Eu não leio muitas coletâneas de contos, é até bem raro, na verdade. E quase sempre são contos do mesmo autor, tipo o Histórias Extraordinárias, que eu nunca sabia que tinha filme e com certeza vou assistir!
      Eu também gosto muito de como a Marianne amadurece durante a narrativa e isso fica tão bem representado no filme, com a Kate Winslet <333
      Tem vezes que eu sou mais razão e tem vezes que eu sou mais sentimento (e apesar de muitas pessoas acharem o meu fascínio por política e filosofia um negócio racional, eu tenho certeza que éo meu lado sentimento), mas também fico com você nessa de ser mais a Elinor. E nem acho frieza, nem insípidez nem nada. Acho que as pessoas que buscam mais a razão, são as mais sensíveis de todas. Tão sensíveis que não conseguem suportar posições vulneráveis, como a Marianne sempre se coloca.

      Excluir
    4. Razão é muito importante na política e na filosofia (ou deve ser, pelo menos), mas para se envolver com ambos é preciso muito sentimento, me surpreende que pessoas pensem diferente :p
      As vezes ser mais reservado e ponderar antes de falar dão a impressão que você não se importa tanto com o sentimento, por não ser um reação espontânea ou explosiva, mas muitas vezes acontece o contrário, você se importa tanto com seus sentimentos que tenta não se colocar em situações vulneráveis, como você falou.
      O filme de Razão e Sentimento é maravilhoso <3

      Excluir
  2. Amei o post, ótimas indicações :D

    http://submersa-em-palavras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Thainara! Será que se eu ler Razão e Sentimento também vou preferir outras personagens ao Mr. Darcy? Acho ele tão legal!
    Gosto muito de ler romances e foi muito legal você fazer uma lista dessas em uma sexta 13 haha
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Eu AMO o Mr Darcy, mas acho que amo mais os do cinema e televisão do que o escrito pela Austen, por isso que acabei gostando mais dos mocinhos de R&S.
      Obrigada hahaha

      Excluir
  4. Oi, Thainara.
    Não tem nenhum do Nicolas Spark? haha
    Jane Austen não poderia faltar mesmo.
    A maioria dos citados não li, mas acredito que a seleção foi bem feita.
    Dumas foi um monstro da literatura, quero ler mais livros dele.
    Abraços.
    Diego || Diego Morais Viana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não curto muito os livros do Nicolas (e na verdade, só li dois) :c
      Austen e Dumas são maravilhosos né? <3

      Excluir

By a Lady.... Tecnologia do Blogger.
Se Esse Mundo Fosse Meu... © , All Rights Reserved. BLOG DESIGN BY Sadaf F K.